Nova Cartografia Social: Capoeira da Ilha

Publicação a ser lançada nesta quarta-feira, 28, às 19 horas, na UFSC, é um dos primeiros resultados do Programa Bolsa Cultura, implementado em 2011.

A capoeira é considerada hoje a expressão cultural e política que melhor sintetiza o legado da língua, da tradição, da oralidade e da história da escravidão no Brasil. Os antigos mestres capoeiristas, que são os grandes guardiões deste tesouro histórico, estão desaparecendo.

O Fascículo 18 da revista será lançado nesta quarta-feira, 28, às 19h, no ginásio de Capoeira do Centro de Desportos da UFSC (bloco 6). O objetivo da Central Catarinense de Capoeira de Angola com a publicação é valorizar a capoeira e incentivar o trabalho desses mestres para que a prática não desapareça.

Durante o lançamento, os adeptos à Capoeira Angola farão a Roda de Abertura 2012, também chamada “roda da revolta”, onde os praticantes dão uma demonstração do significado político e histórico dessa arte, que quer ser entendida, sim, como resistência e luta por igualdade de direitos, conforme o coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação e Sociedade Contemporânea,  Fábio Machado Pinto, professor do Centro de Educação da UFSC.

Produzida por alunos e professores de diversos departamentos, a revista é um dos primeiros resultados da Bolsa Cultura, programa de fomento a projetos na área implementado no ano passado pela Secretaria de Cultura e Arte da UFSC, que remunerou os bolsistas e pagou a impressão.

Quem pratica capoeira em Florianópolis? Quem são os mestres? Como vivem? Como sobrevivem? Qual o sentido histórico da capoeira? Essas questões são respondidas pela revista, que foca no testemunho dos antigos mestres capoeiristas e traz um mapa com a localização das rodas de capoeira e projetos socioculturais.

A venda do fascículo, a R$ 5,00, será revertida na compra de materiais necessários para o ensino da prática nas comunidades, como forma de ajudar na sobrevivência desses mestres e preservar a Capoeira Angola em Florianópolis.

Para essas entidades em torno da preservação da capoeira, o conhecimento é a melhor forma de não deixar que se esvazie seu significado político e cultural pelas tendências atuais a transformá-la em uma técnica desportiva com interesses meramente comerciais ou para a prática da violência.

O projeto Nova Cartografia Social faz parte de uma parceria da UFSC com a Universidade do Estado do Amazonas. Um novo lançamento será feito no dia 7 de abril, na roda de capoeira do Mercado Público.

Raquel Wandelli Jornalista na SeCArte (UFSC) 99110524 3 37218729 – raquelwandelli@yahoo.com.br www.secarte.ufsc.br

Mais Informações: Fábio Pinto (coordenador do Núcleo Educação e Sociedade Contemporânea) fabiobage@yahoo.com.br

Anúncios

Solidariedade aos Camaradas do Grupo Angoleiro Sim Sinhô

Vamos ajudar os camaradas do Grupo Angoleiro Sim Sinhô.

Abaixo a mensagem do Deh:

Amigos e amigas, a cultura popular amanheceu mais triste neste dia de São José.

No Rio Vermelho, na tarde de ontem, um acontecimento infeliz para a família Angoleiro Sim Sinhô. Em um acidente, o fogo colocou abaixo a casa de nossos irmãos Cacá, Gisa e Enzo. A família perdeu TUDO que possuía de material, incluindo roupas e documentos. No local, além de moradia da família, funciona também a sede do Grupo de Capoeira Angola Angoleiro Sim Sinhô de Floripa, gentilmente construído e cedido para esse fim pela família proprietária da casa. No centro cultural, além de aulas de capoeira para a comunidade, acontecem também aulas de jiu-jitsu e yoga.

Na mesma casa que o fogo derrubou, vários mestres da cultura popular fizeram pouso, sempre com muito conforto oferecido pelos anfitriões. Entre eles, mestre Plínio (SP), Môa do Katendê (BA), Lua de Bobó (BA), Russo (RJ), Pelé da Bomba (BA) entre outros, além de nosso professor Téo, que estava morando no local.

Peço, com humildade, ajuda para reconstruir esse NOSSO espaço, que é de todos os capoeiristas e admiradores da cultura popular. Roupas em bom estado para homem, mulher e um adolescente; móveis e eletrodomésticos; material de construção; mão de obra e qualquer outro tipo de ajuda são bem vindas. No nosso blog está a conta disponível para ajudas em dinheiro.

Telefones para contato (48) 9101-3744 e (48) 8842-4246

emails: deh_farias@yahoo.com.br ou capoeira-angolateo@googlegroups.com

www.angoleirosimsinhofloripa.blogspot.com

Vamos levantar dessa rasteira com muita elegância (como pedem os velhos mestres).

Asè!!!

André Farias